A ESTAÇÃO NO 
                CLIMA DO OUVINT
E

    


Protestos na BR-356 e em Rio Preto contra falta de ônibus

05 DEZ 2017
05 de Dezembro de 2017
Na sessão plenária desta segunda-feira (04/12), o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, ao julgar pedido de habeas corpus, manteve a prisão preventiva do presidente nacional do Partido da República (PR), Antônio Carlos Rodrigues. Ele é acusado dos crimes de falsidade ideológica, organização criminosa, corrupção passiva, extorsão e lavagem de dinheiro, relacionados a um suposto esquema de "caixa 2" na campanha de Anthony Garotinho a governador do Rio em 2014.
Segundo a relatora do processo, desembargadora eleitoral Cristiane Frota, "diante do panorama fático-probatório analisado está demonstrado que as medidas cautelares diversas da prisão não se mostram suficientes para resguardar a adequada e necessária instrução criminal". A magistrada destacou, ainda, que Antônio Carlos Rodrigues "esteve foragido por quatro dias após o Juízo de primeira instância determinar a medida privativa de liberdade". Cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.
O presidente nacional do Partido da República (PR) e ex-ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues,  teve a prisão pedida pela Justiça Eleitoral de Campos. O presidente é alvo dentro da operação Caixa D' Água, deflagrada no último dia 22/12 pela Polícia Federal

Voltar